quarta-feira, 4 de junho de 2008

Participação Política, Cidadania e Justiça

É de conhecimento comum, notadamente no meio acadêmico, que a participação política do cidadão brasileiro não é das mais efetivas. Os dados que ilustram essa afirmação estão abaixo (a primeira tabela traz dados sobre a participação em diferentes áreas, incluindo aí a política; o segundo traz um gráfico acerca da adesão democrática).



Olhando para o retrospecto das grandes modificações estruturais do Estado brasileiro (Independência, República entre outros "golpes" provocados e levados a cabo pela elite) o povo brasileiro sequer participou ativamente do processo, que partiu das elites políticas e castrenses. Claro que um dos principais motivos dessa ausência de participação insere-se no grande contexto das desigualdades econômicas e sociais existentes no país desde a sua fundação. Ainda assim, devemos nos perguntar se as instituições políticas democráticas fomentam a participação popular.

Em Curitiba, por exemplo, um juiz eleitoral decidiu proibir a propaganda eleitoral na Boca Maldita, principal local de manifestação social e política da capital com grande circulação de pessoas, localizado no centro da cidade. Claro que é importante impedir abusos por parte dos partidos e candidatos (poluição sonora e lixo). Contudo, andou mal a decisão do juiz eleitoral em proibir barracas dos partidos e dos candidatos e as manifestações de cunho político e partidário, uma vez que essa decisão além de afrontar a Constituição, enterra um dos espaços mais democráticos de participação do cidadão curitibano, que é a Boca Maldita.

Assim, culpar a população pelo seu exercício de sufrágio quando elege políticos que não correspondem com aspirações republicanas, é fácil. Agora, difícil, é a criação de espaços democráticos para debate programáticos que fomentem a participação e a adesão a democracia por parte de toda a população. Não é a toa que a maioria da população não acredita e não se interessa por política.

Dados retirados do site Red Interamericana para la democracia.

2 comentários:

Daniel Moraes disse...

Há dois lados da moeda. Os Partidos Políticos nesse país são meras agremissões. Não há de fato, uma ideologia a ser seguida, que leve seus dirigentes a campanhas de consciêntização política junto ao povo; e não há vontade dos mesmos para isso. Também, a população de uma forma geral, não gosta de política. Não há interesse do povo em participar ativamente dos partidos, graças é verdade, a suscessivos escândalos estampados quase que diáriamente nas páginas de jornais. Esse tema é complicado, tem haver com cidadania, participação popular, movimentos sociais e afins. Um abraço.

http://so-pensando.blogspot.com

Lucas Castro disse...

Com razão Daniel. Agora, não é mutilando os já parcos espaços de participação popular, sob o argumento de manutenção da ordem, que iremos modificar esse quadro de baixa participação que vivemos.

Aproveito a oportunidade para parabenizá-lo pelo blog. Proveitoso.

Abraços,